Li, gostei e parei para pensar e estou aqui para compartilhar

determinação
Imagem Google

No último dia 09, passei para visitar o blog da amiga Elaine o Mãe de Moleque e me deparei com um post que me fez refletir bastante "Como ensinar determinação", o que me atraiu na leitura foi como podemos ensinar isso aos nossos filhos, será que tem como?! Ou é algo que já nasce com a criança?!
Nós adultos sabemos (ou pelo menos deveríamos saber) que sem determinação não conseguimos alcançar nenhum objetivo. 

Um ponto que ela colocou no texto dela (e eu concordo) que pelo menos quando eu era criança, não tinha tudo o que queria (principalmente se fosse fora de época e caro, pois somos em 3 irmãos, imagina todos querendo e ganhando tudo), não tinha pelo menos não na hora, e as vezes o que vemos muito ultimamente são as crianças tendo tudo o que quer (alguns usam a justificativa que é para cobrir o tempo que passam fora e longe deles) e com isso não dá o devido valor as coisas, gosto de presentear meu filho, de agrada-lo, não tem coisa melhor do que vê o sorriso e felicidade dele com um brinquedo novo, ou seja lá o que ele queira, e mesmo ele tendo pouca idade, nós já explicamos muito e sempre que for necessário vamos repetir, que nem sempre podemos dar o que ele quer, pois as coisas tem um preço (e nem sempre é barato), e que naquele momento não podemos gasta-lo pois temos outras prioridades, coisas que são essenciais e que não podemos deixar de comprar, isso tanto que funciona pois sempre que vamos ao shopping, ele quer ir na loja de brinquedo e não é conversa minha, ele quer ir lá para olhar somente, tanto que ele entra olha, brinca, pega, se diverte, dá a opinião dele se achou legal, bonito, divertido o não e as vezes questiona o preço, pergunta da forma dele "Mãe isso é caro?", e a pergunta não vem com segunda intenção, caso respondemos que sim para ele pedir para levar, e mesmo não sabendo valore $$ ele olha os números e antes mesmo da pergunta já fala "Nossa isso é caro né mãe?", e isso acontece pois explicamos que estamos lá para olhar, ou para comprar presente para tal pessoa e não para ele, não vou ser hipócrita também em dizer que nunca levei uma coisa barata para agrada-lo, pois já fiz sim, mais não com frequência.
Eu (minha opinião, não estou dizendo que está certo ou errado), acho que ele por ter só 5 anos é novo para ter uma mesada, mais acho que já pode e deve começar a aprender o valor das coisas, por isso, fiz um cofrinho para ele e sempre que tem moeda em casa, eu e o papai colocamos lá, ah o vovô também rs, e avisamos ele que aquele dinheiro ele pode gastar quando, como e aonde quiser (mais sabe né mãe é mãe e dependendo do que ele quer quando julgo desnecessário ou não é legal, converso com ele, coloco a minha opinião e mostro outras alternativas para ele) pois é dele, e quanto mais juntar, uma coisa mais legal ele pode ter, e não precisa gastar tudo de uma só vez, pois as vezes ele pode achar um monte de coisa legal mais tem algo parecido, ou logo vai enjoar, então faço (pelo menos tento) com que ele olhe bem, veja muitas opções, e se decida.
Em alguns aniversários dele, ele ganhou dinheiro como presente por pessoas de mais idade por não saber o que ele poderia gostar, ai ele fica feliz, pois sabe que vai juntar e comprar algo bem legal. Com isso ele já juntou e conseguiu comprar uma mascara do personagem favorito dele, dois cartões de jogos on line de um personagem que ele gosta, e a última e mais recente aquisição de valor alto que ele comprou foi o Furby (esse confesso que mesmo sendo o dinheiro dele tentei fazer mudar de ideia porque o bicho é chato demais kkkk imagina um brinquedo que não tem botão para desligar e fala o dia todo, ele dorme as vezes mais se fizer um barulho mais alto acorda e pronto não para de falar, pedir pra brincar, comer, carinho).

Criança Pensando Futuro
Imagem Google
Outro ponto que a Elaine colocou no texto era sobre o que o filho dela queria ser no futuro, não parei para ter essa conversa com o Gui, mais algumas vezes assistindo desenhos, e brincando no jogo da DiscoveryKids sobre profissões, ele já falou que queria ser médico, bombeiro, professor, já falou que queria trabalhar com o pai dele (mesmo sem saber ao certo o que o pai fazia), já me disse que não queria trabalhar e ia ficar em casa igual a mamãe, o engraçado foi como ele disse "Mãe eu não vou trabalhar quando casar, vai ser minha mulher e eu vou ficar em casa cuidando do meu filho", eu acho que ainda ele tem muito, mais muito mesmo pela frente, e vai conhecer e descobrir muitas coisas, umas que vão chamar sua atenção por algum tempo, outras que vão ser passageiras, mais acredito que conforme vá crescendo nós (pai e mãe) podemos ajuda-lo orientando sobre cada coisa, mostrando como é, passando as informações (sem deixar ou expor nossa preferencia) para que ele determine o que deseja ser, o que quer alcançar, e independente da escolha estaremos aqui ao lado dele, apoiando e torcendo muito por ele.

Desculpem acho que me estendi muito no texto (juro que tentei ser breve), mais acho que isso é uma coisa que nos faz refletir bastante, pois temos um leque de opção a nossa frente, e juntas podemos auxiliar umas as outras e consequentemente ajudar nossos filhos.

E para encerrar esse post trago algumas dicas que achei sobre o assunto no site Educar para Crescer

Determinação se aprende
A boa notícia é que todas essas características, como determinação, foco e disciplina podem ser aprendidas em casa, desde cedo. "A Educação deve capacitar as crianças para que possam aprender a realizar seus sonhos", diz a educadora e doutora em Educação pela PUC-Rio Andrea Ramal. 

Algumas dicas de como incentivar no dia a dia o desenvolvimento dos nossos filhos 

Beijos Mi Gobbato!!!


Comentários
18 Comentários

18 Comentários

  1. Ótimas reflexões amiga!!Criança pode e deve ser ensinada a ter determinação! Outra coisa que devemos ajuda-la a construir é a sua auto estima e segurança...A presença de pais afetuosos e preocupados fazem a diferença!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Melissa obrigada, com certeza nossa presença é a melhor coisa, pois não adianta nada enche-los de brinquedos, e outras coisas se não damos o mais importante para a formação deles, carinho, amor, atenção, respeito
      Bjs

      Excluir
  2. Eu também conferi esse post MARAVILHOSO da Elaine e me fez refletir muito. Em casa muitas vezes eu erro feio nesse ponto, pois por conta da separação do pai da Lara, eu achava que tinha que suprir qualquer coisa que fosse - que muitas vezes só existia na minha cabeça - com presentes e coisas que ela queria. Hoje, eu me casei novamente e o PAIdrasto dela e ela me ensinaram que o que ela precisa mesmo é carinho e atenção e só, pois o resto é adereço e isso não é essencial. Por isso venho mudando meus hábitos e hoje sempre faço ela "correr atrás do que quer" e claro, merecer aquilo, pois assim ela dá muito mais valor. Sobre o que ela quer muito, eu cheguei a perguntar e ela na sua grande inocência me disse que o maior sonho dela é ir no Magic City, um parque aquático que tem aqui perto de casa e por estar sempre muito lotado ainda não fomos. Eu, muitas vezes imaginei levá-la pra disney, pra outro pais, enfim, coisas grandes e minha pequena menina me ensina mais uma vez que o querer pode ser muito mais modesto!

    Adorei seu texto, mesmo longo!
    Beijos
    Janis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Janis, ser mãe / pai é isso, acertar e errar (não somos perfeitos), mais o melhor disso é perceber o erro e corrigi-lo.

      Beijos

      Excluir
  3. Verdade é sim algo a se pensar e muito
    e sim acredito que podemos ensinar aos filhos
    eu aqui em casa digo não quantas vezes forem possíveis
    se acredito que não é pra ter ainda, uma coisa que venho conversando e
    dizendo não é sobre minha filha de 11 anos ter um Face
    por que as amigas tem, eu digo não e explico os motivos e
    acrescendo que o tempo certo dela ter um vai chegar.
    Aqui em casa já conversamos sobre profissão
    ela ainda está em dúvidas.
    ótimo post

    Linda Semana
    beijokas da Nanda

    Mamãe de Duas
    Google+Nanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nanda aqui também, quando achamos que Não tem que ser dito ele é, e não cansamos de repetir quanto necessário, e com certeza tudo tem sem tempo, e o melhor é a explicação junto né pois assim eles aprendem

      bjs

      Excluir
  4. Ótimo texto!
    Realmente não podemos podar e sim estimular a determinação.... diferente de dar o que quer!
    Bjs,
    Camila
    www.baudemenino.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Camila, pois assim fica muito fácil né pedir e ter tudo, não aprende a valorizar as coisas e nem correr atrás, e lá na frente nem sempre podemos fazer tudo por eles então é bom apredner logo cedo

      bjs

      Excluir
  5. Que post! Que reflexão! Tenho conhecidos, pais de crianças pequenas que vivem viajando a trabalho e para isso dão tudo que os filhos querem, deixam ir para as festas que quiserem... Sem limites. Eu sempre disse não para Ingrid, e li certa vez em uma crônica da Martha Medeiros que além do importante não, é necessário explicar o porque. A criança precisa entender e respeitar a decisão. Eu, concordo com ela.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lilia obrigada, também tenho essa mesma opinião, aqui quando dizemos o não a explicação sempre acompanha

      bjs

      Excluir
  6. Eu acho que muitas vezes os pais para compensar outras faltas dão coisas desnecessárias.
    E os próprios filhos mostram ao modo deles que assim não se resolve a situação.
    E com um pequeno empurrãozinho eles conseguem ser determinados, pois acho que as crianças hoje nascem tão evoluídas, que já sabem o que querem desde cedo.
    É só os pais serem um pouco mais participativos e acompanhem eles sempre que possível.
    Bjinhos.
    www.prosaamiga.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda temos pais assim, que transferem a ausência em "recompensas", mais o bom que temos filhos que mostram o que precisam, que não é isso, basta 5 minutos conversando, dando atenção, interessado no que o filho fez na escola, em casa, o que comeu, brincou

      bjs

      Excluir
  7. Amiga, ser mãe é um eterno aprendizado e vamos tentando ensinar aos nossos filhos o que achamos que não foi bom pra gente, certo?
    O 'não' nas horas certas, as divisões de tarefas e o bate papo são essenciais na formação do caráter do pequeno.
    Bju grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza amiga estamos sempre aprendendo... com certeza o Não apesar de ser uma palavra negativa faz um bem danado dito no momento e no caso certo né
      bjs

      Excluir
  8. Ai que delicia saber que fomos inspiração do seu post <3
    Sabe que este é um tema que envolve muito mais que a criação que damos, envolve muito das características de cada criança.
    Mesmo uma criança que guarda um dinheiro para comprar algo, são poucas que não são influenciadas a isso pelos pais, quando por exemplo essa criança ganha este dinheiro de alguém da família a maioria não dá bola gosta de ganhar o brinquedo e olhe lá rsrsrs.
    Aqui ganhou o dinheiro dos avós, foi lá e comprou um lençol novo que ele queira e um ventilador pq queria...
    Depois desde post conversamos muito aqui em casa eu com o moleque e eu com o pai do moleque e chegamos a uma conclusão que ele é uma criança feliz com o que tem e isso é bom também, vamos trabalhar este lado de muita humildade dele e canalizar isso com a necessidade de se quer algo... que se não for para ele, que seja para ajudar alguém que ele goste.
    A determinação para conseguir isso tem que vir da criança e não da influência dos pais para se ter ou estudar algo por exemplo tem que partir deles e é isso que vamos trabalhar mais no dia a dia dele para que possa conseguir ter seus próprios sonhos e não os nossos e que a determinação nasça no coraçãozinho dele, a semente eu darei se ele vai levar para o vida só o tempo dirá, né?
    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Amiga texto lindo, super reflexivo e realmente nos faz parar para pensar!
    Quando criança eu tb não podia ter tudo o que queria... tenho 3 irmãos e o orçamento sempre apertado. Hoje em dia vemos que alguns dão tudo para o filho. E realmente ficam sem perpectiva e determinação pra conquistar suas coisas.
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Estou com esse post pendente para ler, da Elaine, mas ainda não consegui... Vou la conferir...
    Legal quando algo nos faz pensar, refletir...
    Estou lendo um livro antigo, mas é um livro mais de estudo do que leitura corriqueira... E muita coisas vem dos genes, do ambiente e da criação, da vivência... É uma mistura boa, que vamos oferecendo aos nossos filhos e outras já nascem com eles... Adorei seu post Mi, e essas observações no final (do Educar para Crescer), acredito muito, e tenho seguindo sempre elas... Não sei se ajuda na determinação, mas acredito no benefício delas, e segue meu modo de pensar também...
    Não invisto muito no futuro não... Acho que o futuro é futuro, e deixamos isso prá lá, porque acredito que nem tudo que se passa na infância, é o que realmente a criança quer ser ou fazer... E para não gerar expectativas, deixo ele decidir lá na frente...
    Beijinhos
    Ju

    ResponderExcluir
  11. Olha este tema me chamou atenção também,e sua reflexão sobre ele é otima.
    Afinal sempre nos preocupamos como ensinar para os pequenos que nem tudo pode ganhar, e que precisa ter hora e atitudes para ganhar determinadas coisas.
    Aqui em casa estamos conscientizando o Isaac, e acho que tem aprendido, mas muitas vezes pedi todos os dias muitas coisas, mas não compramos e ensinamos que não pode ter tudo o que, que para isso precisa mostrar que merece, e que com o tempo pode conseguir.
    Bjs
    Vivi e Isaac

    ResponderExcluir