As vezes eu me pergunto se o jeito que cuido / crio o Gui é certo, está bom, é assim mesmo .... Sempre escuto opiniões de pessoas que já tem filhos (independente se concordo ou não), e absorvo o que eu acho que está certo, ou que poderia funcionar.
Eu tento sempre mostrar a ele o que é certo, e quando ele faz alguma coisa que não pode, tento não dizer a palavra "NÃO", e explicar de uma forma positiva que não é para fazer, algumas vezes acabo dizendo "vamos fazer isso ao invés disso", na maioria das vezes funciona, mas sabe como é crianças, quando a teimosia bate é dificíl.
Quando o Gui nasceu não mudei muitas coisas da decoração de casa, tirei sim do alcance dele as coisas que poderiam machuca-lo, principalmente a fase de começar as descobertas, e sempre mostrei o que ele podia mexer e o que não podia, e sempre conseguimos manter as coisas nos seus devidos lugares, e agora com ele maiorzinho antes de mexer ele pergunta "esse pode mamãe?", e o bom que com isso quando estamos na casa de amigos ou familiares ele não é dessas crianças que sai mexendo em tudo, so chega perto e fica olhando, só pega se alguém deixa, nas casas dos parentes que vamos com mais frequencia ele já sabe o que e aonde pode mexer, e isso acho muito bom.
Aqui sempre explicamos tudo o que vamos fazer, o porque, pra que, quando para que com isso ele comece a associar o que é certo e o errado, e não simplesmente dizemos "Porque sim" / "Porque não", e isso tem dado resultado, as vezes quando ele faz as coisas ele mesmo já sabe que não pode e nem faz (mas faz aquela carinha de que "estou com uma vontade").
Algumas vezes (isso até o papai diz) que sou muito chata não deixo ele fazer nada,mas não é bem assim, deixo mas coloco limites, e quando não deixo explico o porque, mas tem coisas que não é que não deixo, quando ele começa a fazer eu digo pra tomar cuidado, pra ir devagar, sabe esses cuidados de mãe, principalmente porque as vezes ele faz algumas coisas junto com a gente e gosta e vai querer fazer mais e até sozinho, tipo pular no sofá, na cama, ai já imaginou ele sozinho querendo fazer isso e eu doida né rs.
Apesar de muitas interrogações acredito está indo pelo lado certo, ele é bem inteligente, educado e obediente (quando não está nos dias de teimosia rs).
Espero continuar sempre dando bons exemplos, ensinando e caminhando junto para que ele possa crescer cada vez melhor, e que no futuro tenha orgulho da mãe e do pai que tem.


Comentários
0 Comentários

Deixe um comentário