Síndrome do Túnel do Carpo

Essas dores nas mãos afetam até 35% das gestantes

O que é a Síndrome do Túnel do Carpo?
Uma neuropatia, ou seja, uma doença do sistema nervoso, em que o nervo mediano das mãos fica comprimido. Essa é a segunda neuropatia mais comum entre as grávidas, perdendo somente para a dor lombar, segundo a obstetra Venina Barros, membro do Comitê de Assistência Pré-Natal da Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO). “Até 35% das gestantes apresentam dor nas mãos, contra 5% de incidência da doença na população em geral”, alerta.
Síndrome do Túnel do Carpo
Imagem: http://rsaude.com.br/boa-vista/materia/o-que-e-sindrome-do-tunel-do-carpo/9891
Os sintomas mais característicos são:
  • formigamento;
  • dormência;
  • perda da sensibilidade de uma ou nas duas mãos. 
Em casos mais graves, a mulher pode sentir a perda da força na mão afetada, por isso é comum ouvirmos histórias de grávidas que deixam cair tudo das mãos. Esses sintomas geralmente, afetam o dedão, o dedo indicador, médio e anular, com exceção do dedo mindinho.

No canal do carpo, localizado entre a mão e o antebraço, passam dez estruturas: nove tendões e o nervo mediano, responsável pela sensibilidade em grande parte da mão; e quando os tendões ficam com edema (acúmulo anormal de líquidos), falta espaço para o bom funcionamento do nervo mediano. “Como a gestante tende a acumular mais líquidos em todo o corpo, principalmente nos últimos meses de gestação, elas são as mais afetadas”, explica o chefe do Grupo de Cirurgia da Mão e Microcirurgia do Departamento de Ortopedia e Traumatologia da Santa Casa, Antonio Carlos da Costa, professor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP).

Tratamento
Segundo o especialista em cirurgia da Mão, os sintomas podem ser muito intensos e necessitam de cuidados especiais. No tratamento, o médico deve ser cuidadoso na escolha do medicamento para não comprometer a saúde do bebê. De maneira geral, as pacientes se beneficiam do uso de analgésicos. Já os anti-inflamatórios devem ser evitados ou usados por um curto período. Além disso, a fisioterapia da mão e o uso da órtese (munhequeira ortopédica) – nas horas de descanso ou durante o sono – são outros recursos, que ajudam a aliviar os sintomas.

Em casos mais graves existe a possibilidade de submeter o paciente a uma cirurgia, chamada de descompressão, a fim de liberar o nervo. Os casos cirúrgicos correspondem a apenas 1% dos diagnósticos, diz a obstetra Venina.

Não é possível evitar a doença, mas a boa notícia é que os sintomas regridem naturalmente em até 40 dias após o parto em mais da metade dos casos. Durante a gravidez e no pós-parto,  controle a quantidade de sal na alimentação e beba muita água para evitar inchaços.

“O desconforto da mulher diminui ao evitar posturas com o punho fletido (dobrado) ou estendido demasiadamente.  “O nervo funciona como uma mangueira de jardim. Se estiver alinhada, maior é o espaço interno e maior o fluxo”, compara o professor da FCMSCSP, Antonio.

A qualquer sinal da doença é importante procurar um médico especializado. Grávidas que sofrem com a síndrome têm mais chances de apresentar o mesmo problema na menopausa.

Essas informações e outras dicas você encontra no portal Clickbebê (www.clickbebe.net), um site para mães e gestantes que resolveu disseminar conteúdo especial sobre a temática da criação dos bebês apoiando-se nas melhores práticas de comunicação sobre saúde na internet e nos princípios da Health on the Net Foundation, organização que atua no âmbito da Unesco.  


Comentários
5 Comentários

5 Comentários

  1. Que post esclarecedor!!!!
    Acredita que uma amiga minha teve-nos primeira gestação, sentiu muuuuita dor... e o chato disso tudo é que o diagnóstico foi demorado. No início diziam ser "dor de tanto dirigir" e deram apenas Dorflex pra ela tomar. ����‍♀️����‍♀️����‍♀️

    ResponderExcluir
  2. Parabéns por elucidar tão bem o assunto. Eu, particularmente, desconhecia. Ótima informação.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o post, sabia, mas muito vagamente.beijos Regina

    ResponderExcluir
  4. Mi adorei o post e não conhecia sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  5. Mi adorei o post e não conhecia sobre o assunto.

    ResponderExcluir