Quais os riscos de uma fibrilação atrial?

Quais são os riscos de uma fibrilação atrial?

A fibrilação atrial é uma condição cardíaca grave que ocorre quando há batimentos irregulares, gerados nas câmaras superiores do coração, os átrios, ocasionando um bombeamento irregular do sangue para o resto do corpo. Para entender as causas da arritmia cardíaca e também da fibrilação atrial é necessário buscar auxílio médico especializado, ou seja, de um cardiologista.
Devido aos batimentos acelerados e irregulares, a pessoa acometida pela fibrilação atrial enfrenta uma série de sintomas, como:
  • Palpitações;
  • Falta de ar;
  • Fadiga persistente;
  • Vertigem;
  • Dores na região do tórax;
  • Desmaios e outros.
fibrilação atrial

Em alguns casos, entretanto, a fibrilação atrial pode ser assintomática. O que ocorre nessas situações é que, devido à ausência de sintomas, as pessoas não procuram ajuda médica. No entanto, é importante realizar exames de rotina que podem apresentar alguma alteração, motivando a realização de exames mais específicos.
Ainda que assintomática, devido às causas da arritmia cardíaca, pessoas diagnosticadas com a disfunção podem apresentar o agravamento da condição clínica, caso não busquem pelos tratamentos adequados, por meio de um cardiologista. Conheça alguns riscos que o problema cardíaco pode gerar.
Quais os riscos da fibrilação atrial?
Os impulsos elétricos, originados no coração, fazem com que o sangue possa ser bombeado repetidas vezes para todo o corpo, normalmente com 55 a 100 batimentos por minuto. Entretanto, quando acometida pela fibrilação atrial, a pessoa tem esse bombeamento ocorrendo de forma irregular, não alcançando todas as partes do corpo e, em outras situações, podendo gerar pequenos coágulos. No caso de desprenderem das câmaras do coração, esses coágulos podem entrar na corrente sanguínea e acarretar em diversas complicações no quadro clínico do paciente, como:
  • Acidente vascular cerebral (AVC), com a obstrução de uma veia do cérebro;
  • Embolias sistêmicas;
  • Embolias pulmonares, quando há o entupimento de vasos que vão para os pulmões;
  • Tromboses em membros, mais frequente nos inferiores, visto que a circulação do sangue é prejudicada nessas partes do corpo.

A arritmia cardíaca também pode gerar outras situações frequentes para as pessoas acometidas pela condição, como:
  • Desmaios, no caso de batimentos muito acelerados ou muito lentos;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Fadiga crônica;
  • Outras complicações cardíacas.

Tanto as causas da arritmia cardíaca quanto da fibrilação atrial devem ser investigadas por um cardiologista que poderá indicar o melhor tratamento, evitando o agravamento da situação. Caso apresente qualquer um dos sintomas, principalmente em casos de histórico familiar, o paciente deve buscar auxílio médico, evitando os riscos que podem ser ocasionados pela fibrilação. 


Comentários
17 Comentários

17 Comentários

  1. Não conhecia! Post de utilidade pública porque qt mais informações melhor.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu desconhecia o termo e que pertinente vc trazer informações para alertar e conscientizar as pessoas a procurarem seu médico para exames de rotina. Tem que se cuidar e ser preventivo

    ResponderExcluir
  3. Ótima matéria Mi! No meu caso junto com o cardiologista decidimos pela ablação para minha arritmia.

    ResponderExcluir
  4. Nossa! Super importante esse post para alertar a população a sempre procurar o médico e fazer os exames periódicos!!beijos

    ResponderExcluir
  5. Post de utilidade pública. Todos deveriam ler e assim diagnosticar os sintomas e assim procurar ajuda a tempo.

    http://www.arianebaldassin.com/

    ResponderExcluir
  6. Não sabia Mi!! Bom conhecer e fazer sempre um acompanhamento médico!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Eu descobri que tinha arritmia e depois disso sempre faço acompanhamento com o cardiologista que investiga e está presente sempre: ótimas informações para as pessoas se cuidarem sempre

    ResponderExcluir
  8. Mi, nem tinha noção disso! Super boa essa informação!!! Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Oi Mi, muito legal fazer esses posts que são alertas. Essas doenças que não apresenta sintomas são muito preocupantes por isso é importante sempre fazer os exames de rotina e fazer uso da medicina preventiva que temos ao nosso alcance.
    Informação sempre ajuda muito
    beijos
    Chris

    ResponderExcluir
  10. Gente, que perigo! @caroleassinhazinhas

    ResponderExcluir
  11. Post super informativo!!!! Doenças sem sintomas aparentes passam desapercebidas e acabam nos pegando de surpresa!!!
    Sempre bom prevenir, mantendo os check ups em dia, né? Confesso que estou em falta com a minha saúde, preciso marcar uma consulta o qto antes, ainda mais com as crises de falta de ar que tenho tido... já comecei a me preocupar! 🙄🙄🙄

    ResponderExcluir
  12. Gostei do post!doenças silenciosas são as mais perigosas, mas prevenidas podem resgatar vidas.

    nossasaogemeos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Não conhecia! Muito bom esse texto! Informativo

    ResponderExcluir
  14. Nossa, fico até com medo! Vou me observar melhor!

    ResponderExcluir
  15. Não conhecia!! Muito boa essas informações!
    Bjs Tania

    ResponderExcluir
  16. Não conhecia Mi, que interessante esse post!

    ResponderExcluir
  17. Nossa, não conhecia esses riscos. Fiquei até preocupada. Tentarei ficar de olho e observar mais. Bjos

    ResponderExcluir